elementary OS é bom

Sempre fui um pouco doida do software livre, mas nunca havia conseguido migrar completamente, por causa do design. Então ficava no OSX, esperando o dia que criaria coragem de mudar toda a minha rotina de trabalho para o Inkscape e o GIMP e encontraria uma distribuição Linux que valorizasse, tanto quanto eu, usabilidade e uma interface incrível. Surgiu a necessidade de escrever um artigo sobre explicando de o Elementary OS é bom e, naquele dia, me convenci da migração.

A migração para o Elementary OS

A essa altura já usava um dual boot de Windows e Ubuntu, fazendo boa parte do que precisava fazer no segundo sistema. Devo dizer que não abandonei o pacote Adobe por completo e ainda faço boa parte das minhas ilustrações e designs por meio dele, mas rotinas administrativas, planejamentos e redações foram todas para o Linux. Assim como a edição do meu podcast e a criação de suas capas.

Até que chegou o Elementary. Já tinha ouvido falar no sistema em artigos na Wired e MacLife, mas antes de ter problemas com a minha distribuição Ubuntu (que andava apresentando conflitos com o WiFi aqui de casa) nunca havia pensado seriamente em usar esse sistema, que me parecia uma cópia low-budget do OSX (que agora é MacOS, creio eu). Todavia, fiquei cansada de viver dependendo de um cabo ethernet e configurei um pen drive para instalar a iso do Elementary.

Não tinha muitas esperança de que ele fosse exatamente resolver o meu problema com o WiFi, afinal, trata-se de uma distribuição do Ubuntu customizada. Ledo engano. Desde o primeiro dia o WiFi não falhou nenhuma vez sequer. E eu aprendi a adorar as semelhanças, e diferenças, que o sistema apresenta com relação ao MacOS.

O Elementary OS é bom?

O Elementary é, provavelmente, um dos sistemas mais leves que já usei em toda a miha vida. Com 1.36 GB você pode instalar a versão 0.4.1 Loki usando um pen drive ou DVD. Diferentemente de outras distribuições, o Elementary sugere que você contribua com cinco, dez ou vinte e cinco dólares, mas você pode baixá-lo gratuitamente preenchendo “0” no campo de valores personalizados.

Sabe a loja de aplicativos do Ubuntu? Pense numa versão dela em que todos os softwares são lindos e muito úteis. Esse é o AppCenter, que todos os dias mostra novos aplicativos desenvolvidos pensando na interface do Elementary OS. Mas se você for um usuário iniciante e não tiver nenhuma necessidade em específica fique feliz: o sistema vem com um app de música muito semelhante a minha versão favorita do iTunes, um navegador (Epiphany), leitor de e-mails, visualizador de fotos e vídeos, calendário e editor de textos. Além de, claro um software para a sua câmera, um visualizador de arquivos e um cliente do terminal.

Se você não quiser aprender a instalar seus próprios pacotes pode conseguir software para tudo no AppCenter, desde drivers específicos para o seu computador (que serão detectados automaticamente conforme necessário) ao LibreOffice.

A interface do ElementaryOS

Como já foi mencionado, o Elementary lembra muito o Mac, possuindo um dock para acesso aos seus aplicativos mais usados e a função de hot corners, que simula atalhos encontrados nos computadores da Apple. Pense em como seu Mac seria se ele nunca tivesse sido desenhado com aquele monte de sombras e efeitos de renderização desnecessários. É mais ou menos assim que o Elementary se parece.

Até então, o único problema que enfrentei acontece também em Macs e computadores com Windows: um aplicativo sobrecarregado fechar automaticamente. Portanto, posso dizer que o Elementary OS é bom. Para uma alternativa gratuita, livre, segura, sem propagandas e sem espionagem é provavelmente o melhor sistema que alguém que está migrando para o Linux recentemente poderá encontrar.

E você, já tinha ouvido falar que o Elementary OS é bom? Já experimentou o sistema? Não se esqueça então de compartilhar o que achou nos comentários!